Category Archives: Música

Lady Antebellum, o sucesso do Grammy

Por Brunner M.
17/02/2011

Na noite do último dia 13 de fevereiro, o trio de Neshville, Lady Antebellum, consagrou a retomada de relevância da música country nos últimos anos. A canção“Need You Now” derrubou favoritos e venceu categorias cobiçadissimas como Gravação e Canção do Ano.

O recente álbum da banda também leva o nome de “Need You Now”. A faixa homônima é o grande carro-chefe do disco. É a típica “faixa 1” cuja sombra se deleita sobre o restante das faixas. São 4 minutos e 37 segundos de um country grandioso, certeiro, pegajoso e que não foge dos padrões comerciais do estilo, se aproximando da sonoridade de artistas como Taylor Swift, Miranda Lambert e Carrie Underwood.
Após “Need You Now”, seguem-se outras 10 faixas que tentam percorrer o caminho delineado pela faixa 1 e estabelecer alguma identidade além do country, abusando da mescla dos vocais femininos de Hillary Scott com os masculinos de Charles Kelley, o que soa muito bem em muitas canções, detalhe para a melodia de “Our Kind Of Love” e o country frenético de ”Perfect Day”. Apesar da produção impecável do disco, dos  vários prêmios em categorias gerais do Grammy e de flertar em grande escala com o pop, não tente ouvir Laddy Antebellum se você não gosta do country em sua versão mais comercial. Esta é a dica.

Sobre Gita Gogóia

Brunner M.
18/02/2011

Noite passada eu ouvia uma música do Caetano chamada “Reconvexo”.  A canção possui uma letra inteligente e poética, mas um pouco complexa de ser entendida. Um certo verso, que diz: “Sou Gita Gogóia, seu olho me olha, mas não me pode alcançar”,  me instiga a imaginação. Afinal, que diabos é “Gita Gogóia”? Hoje tal questionamento estimulou meu espírito investigativo e, consequentemente, me levou a descobertas.

O processo de descobertas hoje me levou a refletir não apenas sobre meu objeto de pesquisa, mas também sobre o próprio sentido das descobertas. Quel seria o sentido da existência humana se não fossem as descobertas? Nossa “civilização” se moldou e se atrelou ao descobrimento disso, daquilo e aquilo mais. Subtraímos também o sentido da existência em um plano muito mais reduzido, a partir das descobertas pessoais de cada individuo.
Testamos e somos testados a cada momento, e assim descobrimos o mundo ao nosso redor. As possibilidades de descobertas são infinitas e constantes. Posso agora parar de escrever esse texto, abrir um site qualquer sobre música, descobrir o nome de uma banda de rock do Irã (será que tem banda de rock no Irã?), ouvir, gostar, apagar todas as linhas já escritas deste texto e escrever sobre a tal banda.
Para efeito de curiosidade, quer saber os resultados da minha pesquisa sobre a expressão utilizada por Caetano? Bom, eu imaginava que Gita Gogóia fosse, quem sabe, uma mulher desejada da Bahia ou algo assim,  minha descoberta derrubou minha desconfiança e me despertou mais fascinação. Gita Gogóia nunca existiu, este nome é uma junção de Gita, da música “Gita” de Raul Seixas, e Gogóia da música “Fruta Gogóia” do antológico álbum de Gal Costa “Fa-Tal: Gal A Todo Vapor”.
Esta pesquisa não poderia parar por aí. O que significa Gita? O que significa Gogóia? O que significa os dois nomes juntos?
Muitos afirmam que a música “Gita” é satânica. Mas seu real significado aparentemente nada tem a ver com Satanás. Para começar, já ouviu falar do Mahabarata? O Mahabarata é o livro sagrado mais importante do hinduísmo e sua autoria é atribuída a Krishna, forma materializada do divino. O Mahabarata é considerado um manual de psicologia evolutiva do ser humano e, com seus 90 mil versos, é a obra com o maior volume de textos da humanidade. Inserido no Mahabarata está o “Bhagavad Gita” (“A Canção do Senhor”), o texto sagrado mais popular do hinduísmo. No “Bhagavad Gita”, Krishna, expõe os pontos mais importantes do hinduísmo, como no trecho: “Aquele cujo coração não se atém às impressões exteriores encontra em si mesmo a felicidade; em união mística com Brahma através da Yoga, desfruta perpétua bem-aventurança.”
Além de realizar síntese filosófica do hinduísmo, Krishna discorre sobre sua universilidade e plenitude. Em um dado momento cita: “Entre as estrelas sou a lua… entre os animais selvagens sou o leão… dos peixes eu sou o tubarão…. de todas as criações eu sou o início e também o fim e também o meio… das letras eu sou a letra A… eu sou a morte que tudo devora e o gerador de todas as coisas ainda por existir… sou o jogo de azar dos enganadores…”. Neste trecho fica evidente a inspiração de Raul Seixas e Paulo Coelho para comporem sua Gita. Gita é, portanto, um hino, um canto que, elevado à significância hindu, é um canto sagrado.
Vamos agora à Gogóia. Gal Costa abre seu ótimo show/álbum de 1971, “Fa-Tal: Gal A Todo Vapor”, com a frase “Eu sou uma fruta gogóia, Eu sou uma moça”. Os dicionários de português dizem que “gogóia” é o nome de uma espécie de melancia de praia, mas esse provavelmente não é o que o cancioneiro popular quer traduzir. Pela observância das autoafirmações da letra desta canção do folclore baiano, é possível arriscar um significado para “gogóia” como algo exuberante, levado, em personificação humana, para um caráter sexual, talvez.
Antes de partir para as conclusões, note a semelhança das construções de “Gita”, “Fruta Gogóia” e “Reconvexo’, perceba a abundancia da afirmação “eu sou”.GITA: “(…) Eu sou a luz das estrelas/ Eu sou a cor do luar/ Eu sou as coisas da vida/ Eu sou o medo de amar/ Eu sou o medo do fraco/ A força da imaginação/ O blefe do jogador/ Eu sou!… Eu fui!… Eu vou!…/ Gita! Gita! Gita! Gita! Gita!/Eu sou o seu sacrifício/ A placa de contra-mão/ O sangue no olhar do vampiro/ E as juras da maldição/ Eu sou a vela que acende/ Eu sou a luz que se apaga/ Eu sou a beira do abismo/ Eu sou o tudo e o nada (…)”

FRUTA GOGÒIA: “Eu sou uma fruta gogoia/ Eu sou uma moça/ Eu sou calunga de louça/ Eu sou uma jóia/ Eu sou a chuva que molha/ Que refresca bem/ Eu sou o balanço do trem/ Carreira de Tróia/ Eu sou a tirana bóia/ Eu sou o mar/ Samba que eu ensaiar/ Mestre não olha.”

RECONVEXO: (…) Eu sou a chuva que lança a areia do Saara/ Sobre os automóveis de Roma/ Eu sou a sereia que dança/ A destemida Iara/ Água e folha da Amazônia/ Eu sou a sombra da voz da matriarca da Roma Negra (…) Eu sou um preto norte-americano forte / Com um brinco de ouro na orelha/ Eu sou a flor da primeira música/ A mais velha/ A mais nova espada e seu corte/ Sou o cheiro dos livros desesperados/ Sou Gitá Gogóia/ Seu olho me olha mas não me pode alcançar(…)”
Entender Caetano não é tarefa fácil. Talvez nem ele mesmo se entenda e talvez nem ele saiba o que quis dizer com “Gita Gogóia”. O significado possivelmente pode estar associado à profanação, ou, enxugando ao máximo, simplesmente à exuberância de uma canção. Porém, ao chegar a esta conclusão, me dei conta de que sua veracidade ou o equivoco, não é o que mais importa. Não, essa informação não mudou a minha vida, mas não apenas de life-changings vivem os seres humanos. O número de descobertas, reflexões e conexões que realizei por conta de uma simples palavra, como mostrei acima, foi fantástico. Para terminar, reafirmo o que disse lá no inicio desta história toda. A todo instante estamos sujeitos a um número inimaginável de descobertas e isso é como um combustível para nossa vida intelectual, psicológica e física. Amém!

Os premiados do Grammy

Por Brunner M.
15/02/2011
        .
Na 53ª edição do Grammy Awards, que aconteceu o último domingo (13) em Los Angeles, superando as expectativas, a música country foi a que mais brilhou. O trio Lady Antebellum levou prêmios cobiçadissimos como Gravação do Ano, Canção do Ano, Melhor Performance Vocal por Duo ou Grupo de Country, Melhor Álbum de Country e Melhor Canção de Country, e se consagrou como o maior vencedor da noite, tudo isso devido a sua avassaladora “Need You Now”, música que parece ter conquistado os norte-americanos. Outra cantora country premiada foi Miranda Lambert.
O Árcade Fire levou o prêmio mais cobiçado (Álbum do Ano) com “The Suburbs” desbancando outros favoritos como Eminem, Lady Gaga e Katy Perry. Perry, por sua vez, apesar de possuir reais chances de levar algum prêmio, viu essas chances minadas pela poderosa Lady Gaga. Gaga chegou ao Grammy dentro de um ovo, do qual só saiu no momento de sua polêmica apresentação.

Veja aqui a lista dos principais vencedores do Grammy 2011.

Gravação do ano
“Need You Now”, Lady Antebellum

Disco do ano
The Suburbs, Arcade Fire

Canção do ano
“Need You Now”, Lady Antebellum

Melhor artista novo
Esperanza Spalding

Melhor disco Pop
The Fame: Monster, Lady Gaga

Melhor performance vocal Pop feminina
“Bad Romance”, Lady Gaga

Melhor performance vocal Pop masculina
“Just The Way You Are”, Bruno Mars

Melhor performance vocal Pop de grupo
“Hey, Soul Sister”, Train

Melhor disco de música Eletrônica
La Roux, La Roux

Melhor Gravação de Dance
“Only Girl (In The World)”, Rihanna

Melhor disco de Rock
The Resistance, Muse

Melhor disco de Rock Alternativo
Brothers, The Black Keys

Melhor performance Rock de Grupo
“Tighten Up”, The Black Keys

Melhor Performance Rock Solo
“Helter Skelter”, Paul McCartney

Melhor canção de Rock
“Angry World”, Neil Young

Melhor performance Hard Rock
“New Fang”, Them Crooked Vultures

Melhor performance Heavy Metal
“EL Dorado”, Iron Maiden

Melhor disco de R&B
Raymond V Raymond, Usher

Melhor disco de Rap
Recovery, Eminem

Melhor performance Rap  solo
“I’m Not Afraid”, Eminem

Melhor canção de Rap
“Empire State Of Mind”, Jay-Z & Alicia Keys

Melhor disco de pop tradicional
Crazy Love, Michael Bublé

Amor, festa e devoção

Por Brunner M.
13/02/2010
Cada canção tem uma beleza à parte, uma poesia única, uma significação profunda, elementos que traduzem o que é estar diante da imponência de Maria Bethânia. O amor é cantado em cada nota, a festa está na celebração da mais fiel música brasileira e a devoção é encontrada em um público devoto a uma artista e esta artista à sua arte, ao seu público e à sua mãe. “Amor, Festa e Devoção”, um álbum ao vivo, é a síntese mais profunda da musicalidade brasileiríssima de Bethânia.  A sonoridade é interiorana, ritualística e ornamentada por instrumentos nacionais.
“Amor, Festa e Devoção” irmana rodas de violas, sambas de roda e cantigas. Bethânia, que aos 64 anos continua senhora absoluta de cena, sem se intimidar, interpreta canções de duplas sertanejas (“É o Amor” e “Vai Dar Namoro”), moldando-as à sua potencialidade vocal e interpretativa, arrancando aplausos da platéia, e emenda com compositores tão avessos como Vinícius de Moraes e Wander Lee – poucos teriam capacidade de fazer algo parecido.
Bethânia festeja o centenário de sua mãe, Dona Canô, com canções dedicadas a ela, como “Estrela”, canta o Brasil Caboclo com lirismo, como em “Doce Viola”, interpreta com vigor músicas de Caetano, como “Queixa”, e de Chico Buarque, “Vida”. Para fechar o espetáculo, Bethânia escala “Encanteira” e “Reconvexo” para não deixar nenhuma dúvida de que ouvimos a maior intérprete da  Música Popular Brasileira. Ouvir “Amor, Festa e Devoção”  sem se entregar ao seu espírito festeiro é algo que beira o impossível.

Grammy 2011: Meus erros e acertos

Brunner M.
08/02/2011
Ontem, 13 de fevereiro, aconteceu a 53º edição do Grammy e, como prometido, farei hoje um balanço dos meus erros e acertos na premiação.
Álbum do ano
  • Arcade Fire – The Suburbs
  • Eminem – Recovery
  • Lady Antebellum – Need You Now
  • Lady Gaga – The Fame Monster
  • Katy Perry – Teenage Dream 

2010 foi o ano em que muito se falou de Justin Bieber e de Lady Gaga, Arcade Fire encabeçou listas de publicações como a Rolling Stone, mas minha aposta é de que este ano o rapper Eminem leva o Grammy, seu álbum arrancou muitos aplausos e elogios da crítica.
Nem mesmo o Eminem foi capaz de segurar o Arcade Fire e seu “The Suburbs”.  A banda canadense levou o prêmio e não foi surpresa para ninguém.

Música do Ano
  • Beg Steal or Borrow – Ray LaMontagne And The Pariah Dogs
  • Fuck You - Cee Lo Green
  • The House That Built Me – Miranda Lambert
  • Love the Way You Lie - Eminem Featuring Rihanna
  • Need You Now – Lady Antebellum
Nesta categoria acredito que as grandes forças são “Fuck You”, do despojado Cee Lo Green, “Love The Way You Lie”, da parceria Eminem/Rihanna, e “Need You Now”, da banda country Lady Antebellum. Apostar em uma? “Fuck You”, com todo respeito.
O prêmio foi para a banda country Lady Antebellum com a música “Need You Now”.
Gravação do Ano
  • Eminem e Rihanna – Love the Way You Lie
  • B.o.B e Bruno Mars – Nothin’ On You
  • Jay-Z e Alicia Keys – Empire State of Mind
  • Lady Antebellum – Need You Now
  • Cee Lo Green – Fuck You
Esta categoria não deve repetir o premiado da categoria “Música do Ano”. Aposto em “Love The Way You Lie” ou “Need You Now”, caso não levem o prêmio “Música do Ano”.
Contrariando minhas expectativas, o prêmio “Gravação do Ano” repetiu o premiado de “Música do Ano”. Vitória de “Need You Now” de novo.

Artista Revelação
  • Drake
  • Justin Bieber
  • Esperanza Spalding
  • Florence + the Machine
  • Mumford & Sons
Nesta categoria torço pela banda de folk-rock Mumford & Sons, mas o Bieber vem forte e deve levar.
Aqui deu zebra. Ninguém esperava, mas Esperanza Spalding levou o prêmio e deixou o Bieber com as mãos abanando.
Melhor Álbum Pop
  • Justin Bieber – My world 2.0
  • Lady Gaga – The Fame Monster
  • John Mayer – Battle Studies
  • Katy Perry – Teenage Dream
  • Susan Boyle – I Dreamed a Dream
Nesta categoria eu aposto em uma lady, não necessariamente a Gaga, apesar de acreditar que ela leva. Katy Perry também tem boas chances, creio que fica entre as duas. Este ano vejo Susan Boyle como um cavalo paraguaio, apesar de suas excelentes vendagens. O bom e velho John Mayer merecia, mas também não deve ganhar essa.
E deu Lady Gaga. O prêmio de “Melhor Álbum Do Ano” foi para “The Fame Monster”.

Melhor Performance Pop Feminina
  • Sara Bareilles – King of Anything
  • Beyoncé – Halo
  • Norah Jones – Chasing Pirates
  • Lady Gaga - Bad Romance
  • Katy Perry – Teenage Dream
Aqui Lady Gaga é quase imbatível. Com suas performances estrondosas e exuberantes, acredito que o prêmio já é dela. Sem mais.
Lady Gaga novamente. “Bad Romance” ganhou o prêmio de “Melhor Performance Pop Feminina”.

Melhor Performance Pop Masculina
  • Michael Jackson – This Is It
  • Michael Bublé – Haven’t Met You Yet
  • Adam Lambert – Whataya Want From Me
  • Bruno Mars – Just The Way You Are
  • John Mayer – Half Of My Heart
Nesta categoria apostar está difícil. Gosto muito do Michael  Jackson e John Mayer, e medianamente do Bublé e do Mars. Podem querer consagrar MJ com um Grammy póstumo, o que seria merecido por seu talento e sua carreira, mas será que já não está na hora de deixá-lo descansar em paz?  Vejo o Adam Lambert como uma possibilidade, mas não me arrisco apostar.
O Grammy nesta categoria foi para Bruno Mars.

Melhor Colaboração Pop
  • B.o.B, Eminem & Hayley Williams – Airplanes, Part II
  • Herbie Hancock, Pink, India.Arie, Seal, Konono No 1, Jeff Beck & Oumou Sangare – Imagine
  • Elton John & Leon Russell – If It Wasn’t For Bad
  • Lady Gaga & Beyoncé – Telephone
  • Katy Perry & Snoop Dogg – California Gurls
Esta é outra categoria difícil de apostar em 2011. Vou me deixar levar pelo poderio de Lady Gaga este ano. O dueto da musa dos monstrinhos com Beyonce me parece uma boa aposta.
“Imagine” de John Lennon, interpretada pela turma descrita acima, ganhou o Grammy nesta categoria.

Melhor Performance Pop por dupla ou grupo com vocais
  • Glee CastDon’t Stop Believin’ (Regionals Version)
  • Maroon 5 – Misery
  • Paramore – The Only Exception
  • Sade – Babyfather
  • Train – Hey, Soul Sister (Live)
Brindados por boas vendagens, os atores da série Glee tem boas chances de levar esse prêmio. Minha aposta é neles, apesar de boas chances do Maroon 5 e do Paramore.
Train ganhou o Grammy de “Melhor Performance Pop Por Dupla Ou Grupo Com Vocais”.

 Melhor Gravação Dance
  • GoldfrappRocket
  • La Roux – In For The Kill
  • Lady Gaga – Dance In The Dark
  • Rihanna -Only Girl (In The Word)
  • Robyn – Dancing On My Own
Estou apostando muito na Gaga, repararam? Aqui minha aposta é nela novamente.
Rihanna levou essa.

Melhor Álbum Pop Tradicional
  • Michael Bublé – Crazy love
  • Barry Manilow - The Greatest Love Songs Of All Time
  • Johnny Mathis – Let It Be Me: Mathis In Nashville
  • Rod Stuart – Fly Me To The Moon… the Great American Songbook: Volume V
  • Barbra Streisand – Love Is The Answer
Esta categoria é duelo de gigantes. Não acredito muito em uma vitória de Manilow ou Mathis. A receita dos álbuns de Rod Stuart já parece um pouco desgastada para levar um Grammy. Fico entre Michael Bublé e Barbra Streisand.
Aqui deu Michael Bublé.

Melhor Performance Rock Individual
  • Eric Clapton – Run Back To Your Side
  • John Mayer - Crossroads
  • Paul McCartney – Helter Skelter
  • Robert Plant – Silver Rider
  • Neil Young – Angry World
Aqui não tem jeito, minha torcida incondicional para Sir. Paul McCartney e a antológica performance caleidoscópica de “Helter Skelter” que vi ao vivo em uma apresentação de sua “Up And Coming Tour”. Não tenho a imparcialidade necessária para apostar nesta categoria.
Torcer valeu a pena! Paul McCartney levou essa!
Melhor Performance Rock por uma Dupla ou Grupo
  • Arcade Fire – Ready To Start
  • Jeff Beck & Joss Stone – I Put A Spell On You
  • The Black Keys – Tighten Up
  • Kings Of Leon – Radioactive
  • Muse – Resistance
Aqui os fortes são o Arcade Fire, o King Of Leon e o Muse. Apostar em um dos três é difícil, mas em um chute eu iria de Kings Of Leon, apesar de preferir os outros dois.
the Black Keys ganhou o Grammy desta categoria com “Tighten Up”

Melhor Performance Hard Rock
  • Alice In Chains – A Looking In View
  • Ozzy Osbourne – Let Me Hear You Scream
  • Soundgarden - Black Rain
  • Stone Temple Pilots - Between The Lines
  • Them Crooked Vultures – New Fans
O Príncipe das Trevas ,Ozzy Osbourne, é sempre um concorrente de peso, mas em 2011 acho difícil alguém vencer a volta triunfal do Soundgarden. 
Outra surpresa: Them Crooked Vultures venceu nesta categoria.

Melhor Performance Metal
  • Iron Maiden – El Dorado
  • Korn – Let The Guilt Go
  • Lamb Of God – In Your Words
  • Megadeth – Sudden Death
  • Slayer – World Painted Blood
Nesta categoria confesso que não sou nenhum expert, mas percebi que o páreo está difícil. Eu vou de Megadeth.
Aqui deu Iron Maiden.
Melhor Álgum Rock
  • Jeff Beck – Emotion & Commotion
  • Muse – The Resistance
  • Pearl Jam – Backspacer
  • Tom Petty And The Heartbreakers - Mojo
  • Neil Young – Le Noise
Páreo duro novamente. Estou dividido entre depositar minhas fichas no Muse ou no Pearl Jam. 50% para cada lado e não se fala mais nisso.
O vencedor nesta categoria foi o Muse, com “Resistance”.
Melhor Álbum de Música Alternativa
  • Arcade Fire – The Suburbs
  • Band Of Horses – Infinite Arms
  • The Black Keys - Brothers
  • Broken Bells – Broken Bells
  • Vampire Weekend – Contra
A minha torcida é para o Vampire Weekend, mas acredito que quem levará o prêmio será o Acade Fire, com seu elogiadissimo “The Suburbs”.
O vencedor nesta categoria foi o The Black Keys, com “Brothers”. estranho é que o Arcade Fire ganhou como melhor álbum do ano mas não levou em sua própria categoria.
Lição para o próximo Grammy: apostar no previsível.
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.